Como utilizar as redes sociais para gerar interatividade na sua rádio

Montar uma rádio online é algo que hoje pode ser feito por praticamente qualquer pessoa. Basta possuir computador, microfone (Caso queira fazer transmissões ao vivo) e uma boa conexão com a internet. Uma vez iniciada a empreitada, é importante divulgar a sua estação e abrir um diálogo estreito com a audiência. Não sabe como utilizar as redes sociais para gerar interatividade na sua rádio? Neste artigo vamos indicar alguns caminhos para usar estas ferramentas de comunicação em favor da sua atividade radiofônica.

Do ponto de vista de quem pretende oferecer conteúdo de relevância para o público-alvo, a interação começa no destaque dado à informação. Antes disso, no entanto, é importante definir o segmento no qual você estará inserido. Esta delimitação é indissociável da apresentação de bom material. É fator que vai moldar inclusive a forma de se comunicar com a audiência quando você estiver nas mídias sociais. Algo simples de se entender se pensarmos em alguns exemplos. Imagine basicamente que uma rádio jornalística não poderia apresentar o mesmo tom e linguagem que outra voltada para o entretenimento.

Quanto ao público que você encontrará nas diferentes plataformas este tende a ser bastante segmentado. Já a interação acontecendo de forma imediata não é novidade para o rádio. É a recorrência com que esta acontece na internet que se torna um desafio. Neste ambiente o diálogo precisa ser mantido de forma a sustentar uma relação contínua e de qualidade com o público. Isso significa que a fidelidade do ouvinte, comum no radialismo analógico, deve ser trabalhada de outra forma aqui. Para utilizar as diferentes redes e plataformas disponíveis ao seu favor é preciso conhecer primeiro a natureza de cada uma.

A natureza das redes sociais

A interação é uma característica intrínseca às redes sociais. Porém muito antes que existissem Facebook e Twitter o rádio já se apresentava como uma mídia interativa. Ainda hoje as ligações telefônicas são parte integrante de muitas atrações radiofônicas. O que queremos dizer com isso, é que o bom radialista já está preparado para transformar sua comunicação em diálogo. Agora na internet cabe descobrir novas formas de incentivar a participação do público-alvo.

Neste afã, muitos cometem o engano de criar páginas em todas as redes sociais possíveis. O que não é necessário. Pois de acordo com o perfil da sua audiência, há uma ou duas redes mais indicadas. Outras plataformas podem não oferecer o engajamento e retorno esperado. Sabe-se que Facebook e Twitter são redes que falam aos jovens – sobretudo a segunda. A despeito disso, há uma faixa crescente de pessoas maduras utilizando estes sites. Logo, o conteúdo oferecido nestes casos pode ser de interesse geral e abrangente – notícias – ou despojado e musical.

O Instagram, embora voltado para a imagem, também pode servir para divulgação entre a parcela mais jovem dos internautas. Agora, se você trabalha uma programação realmente sóbria, talvez uma rede com tons executivos como o LinkedIn seja mais adequada. Definido o perfil do seu ouvinte e as redes mais eficazes para estabelecer uma relação, o que fazer depois? É a partir daí que serão estabelecidos os tipos de postagens e a forma de participação da audiência. Sobre as possibilidades oferecidas pelas diferentes redes, apontamos alguns caminhos no tópico seguinte.

Como utilizar as redes sociais para gerar interatividade na sua rádio e estreitar a relação com os ouvintes

Independentemente da segmentação na qual se insere a sua rádio, os conteúdos nas redes devem ser informativos e relevantes. As postagens devem ser entendidas como uma extensão daquilo que é feito nas transmissões. Se o foco é jornalístico, as suas páginas nas mídias sociais apresentarão notas e até mesmo aprofundamentos de alguns assuntos. Sempre respeitando o formato em questão. Um benefício é que materiais bem escritos e coerentes tendem a ser compartilhados. Fato que leva a sua rádio a ser apresentada para novas pessoas.

Read More
admin fevereiro 15, 2019 0 Comments